Tratamento de Água de Caldeira e Torre de Resfriamento

O tratamento de água de caldeira e torre de resfriamento ocorre, geralmente, nas águas superficiais e subterrâneas que são usadas nos processos industriais.

Nelas encontramos substâncias dissolvidas como:

  • Dureza, principalmente pelos íons cálcio e magnésio (Ca2+ e Mg2+), principalmente os sulfatos (SO4 2-) carbonatos (CO32-) e Bicarbonatos (HCO3)
  • Sílica solúvel (SiO2) e Silicatos (SiO32-)
  • Óxidos metálicos (principalmente de ferro), originados de processos corrosivos.
  • Diversas outras substâncias inorgânicas dissolvidas.
  • Materiais em suspensão, como areia, argila, lodo, algas, etc.

Para evitar que todas essas impurezas adentrem ao sistema gerador de vapor, deve-se proceder a um tratamento preliminar na água de reposição da caldeira ou torre de resfriamento.

tratamento-de-agua-de-caldeira-torre-de-resfriamento

Objetivos do Tratamento de Caldeira e Torre de Resfriamento

O tratamento químico interno de água das caldeiras e também as operações de tratamento preliminar visam atender os seguintes objetivos:

  • Evitar a formação de incrustações.
  • Evitar os processos corrosivos.
  • Eliminar as ocorrências de arrastes de água.

Cada um destes itens será comentado detalhadamente abaixo:

Quais as Principais Causas na Perda de Calor?

As águas industriais apresentam uma grande quantidade de substâncias dissolvidas.

Muitas destas substâncias são sais e óxidos apresentando solubilidades diferentes e influenciadas basicamente pela temperatura, concentração e pH. Com a vaporização de água na caldeira, há um aumento na concentração das substâncias dissolvidas que permaneceram na fase líquida.

Se forem ultrapassados os limites de solubilidade destas substâncias, as mesmas podem se precipitar de forma aderente nas superfícies de troca térmica (tubos do feixe de convecção, tubos de parede d’água, tubo da fornalha, tubulações, etc.) constituindo as incrustações.

Outras substâncias também podem se incrustar ou depositar na caldeira, tais como produtos de corrosão na seção pré e pós-caldeira, sólidos em suspensão, material orgânico advindo de contaminações e produtos insolúveis originados de reações químicas na água.

Principais Consequências da Presença de Incrustações em Caldeiras:

cano-corroido

  • Diminuição das taxas de troca térmica na caldeira, devido ao efeito isolante que a incrustação proporciona ao fluxo de calor (tem baixa condutividade térmica).
  • Obstrução de tubos, válvulas, descargas e coletores da caldeira, comprometendo o fluxo de água e acentuando ainda mais a formação das incrustações.
  • Aumento do consumo de combustível e diminuição da produção de vapor.
  • Devido à restrição ao fluxo de calor, a presença de incrustações pode causar superaquecimento de um tubo e sua ruptura, parando a funcionamento do equipamento e podendo até causar acidentes fatais.
  • Obstrução de tubos, válvulas, descargas e coletores da caldeira, comprometendo o fluxo de água e acentuando ainda mais a formação das incrustações.
  • Aumento dos processos corrosivos que ocorrem sob os depósitos e incrustações.

Quais os Principais Produtos Utilizados para Evitar Incrustações e Corrosões? Abstract water splash isolated on white

Um dos métodos para eliminação de incrustações é o sequestro de íons metálicos presentes na aguas de caldeira e torres de resfriamento.

Este sais metálicos causam uma tendência a formação de precipitado e cristais que se depositam em tubulações assim formando grandes incrustações.

Os principais produtos utilizados para manter os íons metálicos dispersos no tratamento de água, são:

Estes possuem propriedades diferenciadas, como sequestro e inibição de incrustações, dispersão de sais, controle da corrosão e inibem o crescimento de cristais.

Polydisperse H1 (HEDP) e A1 (ATMP) são produtos extremamente efetivos como inibidores de incrustação, principalmente para íons de Cálcio na forma de carbonatos e sulfatos. São resposáveis pela perda na troca de calor e reduzindo a eficiência da caldeira ou torre de resfriamento.

São também extremamente eficientes em baixas concentrações de uso e podem ser facilmente utilizado em sinergismo com outras moléculas para contribuir com um melhor desempenho, como Polydisperse PCA 40%, Polydisperse HPAA  e Polydisperse HPMA.

Polydisperse PCA 40% é um Copolímero do ácido carboxílico usado para dispersão de Carbonato de Cálcio e Sílica, possuem ótima estabilidade em sinergismo com Hipoclorito de Sódio.

As principais vantagens da utilização dos fosfonatos, polímeros e copolímeros são:

  • Eficiente no tratamento de águas indústrias com altos níveis de dureza, sílica e sólidos suspensos;
  • Economicamente viável comparado a outros produtos;
  • Não há formação de lamas que poderiam se aderir às tubulações;
  • Excelente dispersante para íons de ferro, impedindo a formação de incrustações;
  • Eficiente em baixas concentrações de uso.

Entre em contato com nosso departamento técnico e melhore o seu tratamento de água de caldeira e torre de resfriamento.

Reader Interactions