Como Substituir o Formol (Formaldeído) na Sua Formulação

Devido à contaminação dos produtos em geral, a conservação tem sido estudada de maneira científica ao longo dos últimos 80 anos.

Atualmente, grande importância é dada ao assunto, não apenas devido ao aspecto microbiológico, mas em relação aos problemas de irritação e toxicidade para o consumidor, porque na maioria das formulações são utilizadas bases aquosas atrativas para microrganismo. Por isso é necessário um sistema de conservação ideal para suprir as necessidades da formulação dos produtos.

Substituir-Formol-Formaldeído

Conservantes

Os conservantes são usados para impedir a ação de bactérias e fungos (microrganismos) nos produtos, por isso são considerados antimicrobianos e tem uma grande importância para a indústria.

Possuem propriedades que inibem o desenvolvimento dos microrganismos e protegem contra efeitos físicos (alteração das características do produto) e químicos (alteração da composição da matéria), fatores que influenciam na deterioração biológica do produto. Ao controlar esse desenvolvimento e previnir esses efeitos, prolonga- se a vida útil do produto final, e garante-se seu bom aspecto, além de evitar doenças causadas por bactérias e fungos.

Os produtos em geral podem causar riscos de contaminação. Essas contaminações podem ocasionar infecções que são provocadas por produtos quando contaminados, sendo relativa às deteriorações físicas e químicas. Essas alterações são consideradas de acordo com a potencialidade metabólica variada dos microrganismos, juntamente com sua proliferação, podendo resultar na formação de toxinas que causam infecções através das bactérias e fungos.

Os conservantes devem:

  • ser compostos ativos com bases toxicológicas bem fundamentadas
  • sem riscos de toxicidade aprovado pela ANVISA
  • atóxico
  • não irritante
  • ter amplo espectro de atuação
  • ser efetivo durante todo o prazo de validade do produto
  • não afetar as propriedades do produto
  • ser biodegradável
  • ter um custo aceitável.

Lista de substâncias de ação conservante permitidas pela RESOLUÇÃO ANVISA – RDC Nº 30, DE 4 DE JULHO DE 2011.  para formulação de produtos saneantes.

substâncias-ação-conservante-permitidas-ANVISA
substâncias-ação-conservante-permitidas-ANVISA-2

Também podemos avaliar RESOLUÇÃO ANVISA- RDC Nº 29, DE 1° DE JUNHO DE 2012, que notifica a “Lista de Substâncias de Ação Conservante Permitidas para Produtos de Higiene Pessoal, Cosméticos e Perfumes” e dá outras providências.

Por que não utilizar o Formol (Formaldeído)?

O formaldeído é um dos produtos químicos mais conhecidos pela sua eficácia em determinado uso, porém também pela sua periculosidade. É o aldeído mais simples, de fórmula molecular H2CO e nome oficial IUPAC metanal.

IUPAC-metanal

O formaldeído é um gás, composto orgânico volátil (VOC) e normalmente utilizado em solução aquosa a cerca de 37%, sendo também conhecido como formol ou formalina. Ele serve para impedir o crescimento de microrganismos em diversos produtos, portanto possui ação conservante. Porém é feito a partir do metanol, que é um álcool muito tóxico à saúde, possui odor forte e irritante, sendo altamente inflamável e reativo, e por isso substituir o formol é interessante.

Toxicidade
Toxicidade

Devido a sua solubilidade em água, o formol é rapidamente absorvido no trato respiratório e gastrointestinal e metabolizado. Embora o formol ou metabólitos sejam capazes de penetrar na pele humana, a absorção dérmica é mais leve, porém podem induzir a dermatites de contato. Desta forma, o formol é tóxico se ingerido, inalado ou tiver contato com a pele, por via intravenosa, intraperitoneal ou subcutânea.

O formaldeído em concentrações acima do limite é classificado como carcinogênico humano e têm sido relacionados com câncer dos pulmões e nasal e com possível câncer no cérebro e leucemia.

Efeitos do formol em humanos após exposições de curta duração

Média de concentraçãoTempo médioEfeitos à saúde população geral

0,8 – 1 ppm

Exposições repetidas

percepção olfativa

até 2 ppm

Única ou repetida exposição

irritante aos olhos, nariz e garganta

3 – 5 ppm

30 minutos

lacrimação e intolerância por algumas pessoas

10 – 20 ppm

Tempo não especificado

dificuldade na respiração e forte lacrimação

25 – 50 ppm

Tempo não especificado

edema pulmonar, pneumonia, perigo de vida

50 – 100 ppm

Tempo não especificado

pode causar a morte

Fonte: World Health Organization (1989)

Sintomas em caso de intoxicação:

Inalação: forte dor de cabeça, tosse, falta de ar, vertigem, dificuldade para respirar e edema pulmonar.  Pode causar ainda irritação nos olhos, nariz, mucosas e trato respiratório superior. Em altas concentrações pode causar bronquite, pneumonia ou laringite.

Ingestão: causa imediata e intensa dor na boca e faringe; dores abdominais com náuseas, vômito e possível perda de consciência.  Também podem ser observados sintomas como proteinúria, acidose, hematemesis, hematúria, anúria, vertigem, coma e morte por falência respiratória. Ocasionalmente pode ocorrer diarréia (com possibilidade de sangue nas fezes), pele pálida, fria e úmida além de sinais de choque como dificuldade de micção, convulsões, e estupor. A ingestão também pode ocasionar inflamação e ulceração /coagulação com necrose na mucosa gastrintestinal, colapso circulatório e nos rins. Podem ocorrer danos degenerativos no fígado, rins, coração e cérebro.

Pele: O contato com o vapor ou com a solução pode deixar a pele esbranquiçada, áspera e causar forte sensação de anestesia e necrose na pele superficial. Longos períodos de exposição podem causar dermatite e hipersensibilidade, rachaduras na pele (ressecamento), ulcerações, principalmente entre os dedos.

Olhos: Pode causar conjuntivite.

Algumas avaliações feitas pela IARC – International Agency for Research on Cancer da Organização Mundial da Saúde sobre o formaldeído foram concluídas em 1987, que classificou o formaldeído no grupo 2A – provável cancerígeno em humanos e manteve essa classificação também em 1995.

Em 2003, um grupo de cientistas da mesma Agência, reavaliaram os resultados de estudos existentes e optaram pela reclassificação do formaldeído quanto ao seu potencial cancerígeno. Desta forma a partir de julho de 2004, a IARC classificou este composto como carcinogênico (Grupo 1), tumorogênico e teratogênico por produzir efeitos na reprodução para humanos e em estudos experimentais demonstraram ser também, para algumas espécies de animais.

No Brasil, o uso do formaldeído como conservante foi proibido pela ANVISA Resolução- RDC nº 03, de 20 de janeiro de 2012, que descreve a: “Listas de substâncias que os produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes não devem conter exceto nas condições e com as restrições estabelecidas”, onde não encontramos a descrição alguma do formaldeído (formaldehyde). Evidenciando a proibição do produto na utilização como conservante.

Também na Resolução-ANVISA – RDC nº 36, de 17 de junho de 2009, que dispõe sobre a proibida a exposição, a venda e a entrega ao consumo de formol ou de formaldeído (solução a 37%) em drogaria, farmácia, supermercado, armazém e empório, loja de conveniência e drugstore.

Considerando que a Vigilância Sanitária tem como missão precípua a prevenção de agravos à saúde, a ação reguladora de garantia de qualidade de produtos e serviços que inclui a aprovação de normas e suas atualizações, bem como a fiscalização de sua aplicação; considerando a competência da ANVISA em regulamentar, controlar e fiscalizar os produtos e serviços que envolvam risco à saúde pública.

A ANVISA proibiu também o uso do formol em produtos de limpeza detergentes, desinfetantes, alvejantes e demais materiais saneantes – RDC nº 35, de 03 de junho de 2008, baseados no artigo 5º da Resolução nº 184 de 22 de outubro de 2001, que proíbe o uso de substâncias carcinogênicas, terotogênicas e mutagênicas nas formulações de produtos saneantes.

Solução na Conservação

É fato que o formol é extremamente perigoso a saúde humana. Foi pensando na prevenção da saúde e segurança de seus clientes, que a Polyorganic trouxe uma solução ao mercado Brasileiro. São moléculas com largo espectro e potencial de conservação de materiais e não agressivas a saúde, que são permitidas pela ANVISA e globalmente utilizadas pelo setor industrial. Podemos citar algumas dessas moléculas:

Isotiazolinonas

As isotiazolinonas são moléculas tradicionais e muito utilizada pela indústria cosmética desde os anos 60, quando foram sintetizadas, com objetivo de conservar produtos cosméticos. Os estudos toxicológicos a partir das isotiazolinonas foram bem conduzidos e fundamentados, tendo a sua aprovação e registro obtidos em mais de 40 países, incluindo o Japão, que é um dos países mais rigorosos e exigentes na aprovação de conservantes, mas, desde 1987, adotou as isotiazolinonas com aceitação de usos na concentração de 15 ppm, no caso de produtos enxaguáveis rinse-off.

Parabenos

Estes conservantes têm uma boa atividade antimicrobiana, baixo custo e relativamente baixa toxidade, e com isso passaram a ter um uso mais generalizado. Não tem certa aderência para que possam se concentrar no corpo e nem um potencial cancerígeno. Parabenos são ésteres do ácido p-hidroxibenzóico, antimicrobianos ativos em pH superior a 4 e inativos em pH superior a 8.

Benzoisotiazolinonas (BIT)

A benzisotiazolinona (BIT) tem sua estrutura heterocíclica obtida através da reação do cloreto de tionila (SOCl2) com ácido ditiodibenzóico, geralmente usado em misturas com outros biocidas, como o metilcloroisotiazolinona. É adquirida na forma de solução aquosa ou glicólica, ou em combinações. A BIT é mais ativo contra as bactérias Gram positivas se normalmente usada em níveis máximos de 50 ppm.  É conhecida por ser um sensibilizante da pele, quando usada em altos níveis ocasiona irritações.

Bronopol

Trata-se de um produto químico antimicrobiano altamente ativo cuja fórmula química é 2-bromo-2-nitropropano-1,3-diol. As primeiras aplicações foram como conservante para produtos farmacêuticos. Sua baixa toxicidade e sua excepcional atividade contra bactérias (especialmente do tipo Gram negativo) o transformaram em um conservante muito popular para muitos produtos de consumo tais como shampoo e cosméticos em geral.

É amplamente usado em muitos setores industriais e, por esse motivo, a produção mundial passou de algumas dezenas de toneladas no final dos anos 70 para mais de 5000 toneladas atualmente.

Compostos Fenólicos

Os compostos fenólicos possuem excelente poder de desinfecção utilizado no combate de microrganismos presentes em meios com pH e Temperaturas extremas.

(Ortofenil fenol, Ortobenzil Paraclorofenol, Paracloro Metacresol e outros).

Qual Conservante Utilizar?

A Polyorganic Tecnologia disponibiliza uma linha de conservantes para diversas aplicações em diferentes setores. Entenda um pouco mais sobre cada um deles:

POLYBAC 6D

Polybac 6D é um preparado de Isotiazolinonas e Semi acetais, formando o efetivo microbicida de amplo espectro de atuação, no estado úmido como:

  • Tintas decorativas em emulsão a base de resinas aquosas estireno-acrílicas, estireno-butadieno, vinílicas, alquídicas, epoxidícas e cargas minerais (slurry).
  • Composição multi-sinérgica garante proteção integral na tinta e na lata (in can).
  • Altamente efetivo contra bactérias aeróbias e anaeróbias, fungos e leveduras.
  • As dispersões de pigmentos têm como característica a ocorrência de sedimentação ao longo do tempo. Nesse processo, ocorre a formação de vários ambientes diferentes no seio do líquido, que propiciam o crescimento de microrganismos de características diferentes. No fundo da embalagem, por exemplo, pela menor concentração de oxigênio livre, predomina o crescimento de bactérias anaeróbias. Essas bactérias reproduzem-se rapidamente, metabolizando o oxigênio combinado (na forma de SO2 e NO2), sendo inibidas pelo Oxigeno livre abundante nas camadas próximas a superfície.
  • Nas regiões superiores ocorre, com abundância, o crescimento de bactérias aeróbias e leveduras. No espaço entre a tampa e a superfície do líquido temos o crescimento de fungos, nesse espaço os respingos de material ocorridos durante o envasamento ou pelo transporte formam uma crosta de matéria orgânica altamente susceptível ao crescimento microbiológico, o Polybac 6D age em todas essas fases com bastante eficácia.

Saiba Mais

POLYBAC 7D

MISTURA AQUOSA DE CLOROMETILISOTIAZOLINONA E METILISOTIAZOLINONA 1,5% (CMIT/MIT) USADO NA CONSERVAÇÃO DE SANEANTES EM GERAL.

  • Atividade de largo espectro, excelente contra bactérias, leveduras e bolores.
  • Compatível com formulações de base aquosas.
  • Efetivo em pH de 4,0 até 9,0 e temperaturas até 40°C.
  • Efetivo mesmo em baixas concentrações e globalmente aprovado.
  • Substituto eficaz do Formaldeído.

Saiba Mais

POLYBAC 8D

MISTURA AQUOSA DE CLOROMETILISOTIAZOLINONA, METILISOTIAZOLINONA E DERIVADOS DE HALOGÊNIO USADO NA CONSERVAÇÃO DE SANEANTES EM GERAL. ÚLTIMA TECNOLOGIA EM TERMOS DE CONSERVAÇÃO “IN-CAN”.

  • Largo espectro de atuação, excelente contra bactérias, leveduras e bolores.
  • Compatível com formulações de base aquosas.
  • Efetivo em pH de 4,0 até 9,0 e temperaturas até 40°C.
  • Efetivo mesmo em baixas concentrações e globalmente aprovado.
  • Ação dual (Fast e Slow Kill) devido a sinergia das isotiazolinonas com o halogenado.
  • Substituto eficaz do Formaldeído.

Saiba Mais

POLYBAC PP/ MP

OS ÉSTERES PROPIL PARABENO e METIL PARABENO, SÃO UMA FAIXA DE MICROBICIDAS COMPREENDENDO OS MENORES ALQUIL ÉSTERES DO ÁCIDO PARAHIDROXIBENZÓICO (FREQÜENTEMENTE REFERIDOS COMO PARABENOS). SÃO USADOS EXTENSIVAMENTE EM COSMÉTICOS, PRODUTOS DE TOALETE, INDUSTRIA FARMACÊUTICA, E LARGAMENTE USADOS E ACEITOS COMO PRESERVANTES EM TODO MUNDO.

  • Preservação de produtos cosméticos: cremes, loções, soluções, pastas, shampoos, desodorantes, gels, creme dental, pastas de dente, maquiagem de olhos e outros.
  • Baixa toxicidade.
  • Compatibilidade com grande número de ingredientes.
  • Atividade em larga faixa de pH.

O uso de ésteres continua a crescer devido a suas várias propriedades desejadas Muitos fatores afetam o desempenho de um preservante em uma formulação, contudo as combinações de ésteres são incorporadas em dosagens típicas de 0,1 a 0,3%. As dosagens máximas permitidas pela União Européia são de 0,4% em massa por éster e para o Japão o máximo permitido é de 1% em massa.

Saiba Mais

BRONOPOL

O bronopol ( 2-Bromo-2-nitro-1,3-propanediol ) é amplamente utilizado em circuitos de água industrial, biocida, germicida, pasta de papel, tinta, plástico, água de circulação de arrefecimento, biocida para proteção da madeira e outras aplicações industriais, formulações de biocidas para conservação de detergentes de uso industrial, base aquosa.

  • Produto estável a temperatura ambiente.
  • Baixa toxicidade.
  • Melhor atividade contra bactérias Gram negativas.
  • Efetivo em baixas concentrações de uso.

POLY MK10N

SOLUÇÃO AQUOSA DE BENZOISOTIAZOLINONA (BIT) A 10% UTILIZADA NA CONSERVAÇÃO DE PRODUTOS SANEANTES EM TEMPERATURAS E pH EXTREMOS. EXCELENTE ATIVIDADE EM QUALQUER FAIXA DE

pH (1 – 14), BEM COMO TEMPERATURAS ATÉ 120°C.

  • Atividade de largo espectro excelente contra bactérias, leveduras e bolores.
  • Efetivo em qualquer faixa de pH e temperaturas de até 120°C.
  • Efetivo em níveis muito baixos de uso.
  • Produto globalmente aprovado com excelente performance.

POLYBAC TCC

O Triclorocarbanilida e a sua composição exclusiva, apresentada na forma de uma solução possui amplo  espectro de atuação e seu ingrediente ativo encontra-se enquadrado dentro das regulamentações da ANVISA e possui registro no FDA. Sua utilização agrega ação bactericida a sabonetes e sabões diferenciando o produto e incorporando uma nova funcionalidade.

  • Largo espectro de atividade – é altamente efetivo contra bactérias que são comumente encontradas na pele incluindo as espécies patogênicas de staphylococcus, as quais são resistentes a vários bacteriostáticos.
  • Efetivo a baixas concentrações.
  • Não é considerado nocivo, nem é irritante para a pele e olhos em concentrações normais de uso.
  • Ação prolongada é praticamente insolúvel em água e, uma vez aplicado na pele não é removido no enxágüe, portanto continua a exercer efeito bacteriostático e prolonga o período de desodorização.
  • Retém sua atividade na presença de outros componentes de formulação de sabão.
  • Não causa descoloração de produtos por reagir com outros materiais, luz ou calor.
  • Utilização em sabões, sabonetes sólidos e líquidos, desodorantes (spray, stick e roll-on), espumas de barbear, cremes para pele, pastas de dente, géis para banho.

TRICLOSAN

O Tricloro Hidroxi Difenil Éter (Triclosan), é um potente agente antibacteriano e antifúngico de amplo espectro, adequado para uma série de aplicações, tais como cuidados com a pele, cuidados bucais, produtos de limpeza para uso doméstico e institucional. O produto é levemente solúvel em água, porém extremamente solúvel em Etanol, Éter Dietílico e soluções básicas mais fortes.

O Triclosan é um agente antimicrobiano de espectro excepcionalmente amplo, tem um efeito antibacteriano e desinfetante contra a maioria das bactérias gram-positivas e gram-negativas, contra fungos e leveduras. É encontrado em medicamentos, sabonetes, loções e cremes dentais. Apresenta boa tolerância para uso na pele e cavidade bucal em baixas concentrações.

  • Fácil de formular
  • Alta pureza
  • Boa compatibilidade com a pele
  • Amplamente testado.
  • Estável à hidrólise
  • Antimicrobiano extremamente eficaz
  • Atividade antimicrobiana de amplo espectro contra bactérias gram-positivas e gram-negativas

PREVENTOL O extra/ ON extra

O Preventol On extra e O extra são uma classe livres de halogêneos e têm um espectro particularmente amplo de atividade, cobrindo bactérias, leveduras e fungos. Suas moléculas são o 2-phenylphenol, ortho-phenylphenol (OPP) para (O Extra) e  sodium-2-phenylphenolate (Na-OPP) para (ON Extra). São utilizados:

  • Para a conservação de produtos aquosos tais como colas e adesivos, soluções espessantes, aditivos, suspensões de enchimento, suspensões de pigmentos.
  • Como conservante para a indústria do couro.
  • Para a preservação de auxiliares têxteis.
  • Para a conservação de citrinos inteiros.
  • Como um ingrediente ativo para desinfetantes.
  • Para a fabricação de aditivos plásticos, tais como estabilizadores de calor
  • Desinfetante pronto a usar concentrado.
  • Madeira serrada.
  • Couro cromado.
  • Colas e adesivos.
  • Dextrina e celulose.
  • Revestimentos de pigmentos.
  • Polidores, emulsões de cera Aditivos para concreto.

Saiba Mais

PREVENTOL SB

O Preventol SB(N-(4-Chlorphenyl)-N’-(3,4-dichlorphenyl) urea) é utilizado como, Ingrediente ativo para sabões antimicrobianos e para produtos de limpeza. Ingrediente ativo para sabonetes desodorizantes e outros produtos desodorizantes cosméticos.

O Preventol SB também tem sido utilizado há algum tempo como ingrediente ativo antimicrobiano em sabões líquidos. Além disso, Preventol SB também é usado como ingrediente ativo em sabonetes, desodorantes, sprays rollons, shampoos, cremes para a pele e cremes de barbear. Ele ajuda a manter microorganismos patogênicos “em cheque” e a romper as cadeias de infecção. Em geral, o uso de sabonetes antimicrobianos é apropriado quando existe o aumento da necessidade da proteção pessoal.

O Preventol SB, tem uma afinidade para a pele de modo que após a aplicação, os produtos que o contêm, têm um efeito antimicrobiano prolongado. Para conseguir um efeito uniforme e máximo, o Preventol SB deve ser incorporado homogeneamente na formulação cosmética.

O Preventol SB disperso homogeneamente não prejudica a cor nem o cheiro dos sabões. É resistente à luz e compatível com os surfactantes, comumente utilizados em preparações cosméticas.

As adições recomendadas de Preventol SB variam entre 0,2 e 1,5%, em relação ao produto, dependendo da aplicação.

  • Sabonete em barra :                      0,3 – 1,5%
  • Sabonete Líquido:                          0,2 – 0,7%
  • Gél para ducha e banho :              0,2 – 0,7%
  • Desodorante sticks / roll-ons:      0,1 – 0,5%
  • Saponáceos de uso hospitalar:    0,5 – 1,5%

Saiba Mais

PREVENTOL BP

O Preventol BP (2-benzyl-4-chlorophenol (chlorophen)), é utilizado para a formulação de desinfetantes para uso em hospitais, cirurgias, indústria, instituições, estábulos e galpões. Para a formulação de desinfetantes em geral e para produtos de limpeza antimicrobianos para todos os fins.

Preventol BP tem um amplo espectro de atividade contra bactérias (especialmente cocos gram-positivos), fungos e leveduras.

  • Efetivo em faixas extremas de pH 1 – 14
  • Aniônico
  • Formulação de desinfetantes para uso em hospitais, indústria, instituições, estábulos e galpões.

A literatura especializada mostrou que os desinfetantes baseados em ingredientes ativos fenólicos tais como Preventol BP, também utilizados em combinação com outros ingredientes ativos fenólicos tais como Preventol O extra e / ou Preventol CMK, têm elevada eficácia contra cocos e lipófilos , Vírus envolvidos, tais como Herpes simplex, Hepatite B ou vírus HIV.

Saiba Mais

PREVENTOL CMK /CMK-Na

O Preventol CMK/CMK-NA (3-methyl-4-chlorophenol,(chlorocresol, p-chloro-m-cresol))/ -methyl-4-chlorophenol, sodium salt é utilizado a preservação de soluções de espessantes de impressão, adesivos, aditivos para concreto, fluidos de trabalho de metais, auxiliares têxteis, couro cromado e formulação de desinfetantes.

  • Efetivo em faixas extremas de pH 1 – 14
  • Amplo espectro de atividade que abrange bactérias gram-positivas e gram-negativas, fungos de fungos e leveduras.
  • Baixa toxicidade
  • Eficientes contra bactérias putrefativas.

Preventol CMK e seu sal de sódio Preventol CMK-Na têm um espectro amplo e muito equilibrado de actividade que abrange bactérias gram-positivas e gram-negativas, fungos de fungos e leveduras .

Eles são particularmente eficazes contra bactérias putrefactivas e portanto, adequados para utilização em produtos que são difíceis de preservar (por exemplo, formulações à base de proteínas).

A excelente estabilidade térmica e química do Preventol CMK e CMK-Na significa que eles podem ser incorporados no material que necessita de preservação em muitas fases diferentes do processo de produção.

A baixa toxicidade do produto e a boa biodegradabilidade em concentrações subletais devem ser enfatizadas.

Saiba Mais

O que você gostaria de usar?

A Polyorganic Tecnologia dispõem de uma linha de conservantes de ótimo custo x benefício, Maiores informações podem ser encontradas em nosso site: www.polyorganic.com.br ou no nosso atendimento técnico pelo fone: (11) 50444445  de segunda a sexta das 8:00h às 17:30h.

Reader Interactions