Aprenda Como Formular um Detergente Enzimático

FormularDetergente-Enzimático

Atualmente o Brasil é o maior consumidor de produtos de limpeza da América Latina e o quarto do mundo, segundo o Euromonitor International.

De acordo com o instituto, o país atingiu vendas de US$7,8 bilhões em 2013, o que equivale a 11,9% do mercado global, que atingiu US$154,843 bi.

Além de crescer acima do PIB há mais de 10 anos, alcançando um faturamento superior a R$17 bilhões em 2014, o que representa um crescimento de 11%, segundo previsão da Associação Brasileira da Indústria de Produtos de Limpeza e Afins (Abipla), analistas avaliam que o potencial de expansão é dos melhores.

A venda de detergentes enzimáticos para lavar roupas e alvejantes correspondeu a cerca de R$5 bilhões em 2013, de acordo com a Abipla, registrando crescimento de 16% a.a.

O mercado de tira-manchas e detergentes no Brasil cresce a cada dia devido ao grande esforço de marketing dos principais players do mercado.

Dessa forma, um grande mercado de novos consumidores é garantido nos próximos anos, como têxteis, lavanderias, odontológicos e hospitalares.

Além do crescimento da popularidade dos detergentes enzimáticos, existem muitas vantagens para comercializa-lo, como:

  • Maior poder de limpeza e alvejamento devido aos polímeros especiais e Enzimas (Protease, Amilase e Celulase);
  • Baixa agressividade ao tecido, aumentando o tempo de vida útil da roupa e removendo sujeiras pesadas;
  • Alta performance de limpeza para materiais cirúrgicos;
  • Ótima relação de custo x benefício;
  • Fácil fabricação e manipulação das matérias primas;
  • Produto ecologicamente correto (isento de fosfatos que causam a eutrofização);

chama-se eutrofização ou eutroficação ao fenômeno causado pelo excesso de nutrientes (compostos químicos ricos em fósforo ou nitrogênio) numa massa de água, provocando um aumento excessivo de algas.”- Wikipédia

Quando falamos de detergente enzimático, muitos questionam a utilidade e o porquê de não se utilizar o detergente tradicional neutro.

Em relação ao detergente neutro de uso odontológico ou hospitalar, os detergentes de supermercado espumam muito e servem para lavar louça, enquanto os de uso odontológico e hospitalar necessitam na maioria dos casos de baixa espumação e especificidade de limpeza da sujidade. Essa especificidade é garantida pela utilização de enzimas como proteases, amilases e lipases.

O que é um detergente enzimático?

Os Detergentes Enzimáticos são compostos basicamente de enzimas, surfactantes, solubilizantes e alcoóis.

Detergentes enzimáticos são ótimos para limpar toda e qualquer sujidade. Eles agem rapidamente biodegradando manchas de gordura, óleo, lama, carvão, vômito, urina, sangue, café ou alimentos, decompondo-os em seus elementos básicos (carbono, hidrogênio ou oxigênio) e eliminando o problema.

Além dos detergentes enzimáticos não serem tóxicos, eles são extremamente eficientes e limpam melhor do que detergentes convencionais. Eles remove odores completamente decompondo o materiais que causam o mal cheiro. A maioria das pessoas usam detergentes enzimáticos para lavar roupas, carpetes e estofados, além de limpeza de utensílios cirúrgicos.

Segundo a AAMI (Association for the Advancement of Medical Instrumentation), os detergentes com pH diferente do neutro podem trazer danos à superfície lavada, e de acordo com Vickery, Pajkos e Cossart, estas regiões são mais suscetíveis ao acumulo de matéria-orgânica. Também segundo a própria associação, o detergente neutro não é eficaz na remoção de matéria-orgânica. Neste interim são adicionadas as enzimas ao detergente, visando entregar o benefício de limpeza aliado a suavidade à superfície do instrumento lavado. Enzimas são proteínas obtidas por processos biológicos, capazes de fragmentar a matéria-orgânica, facilitando o trabalho de remoção dos tensoativos.

As principais enzimas que contêm o princípio ativo dos limpadores enzimáticos são:

  • Proteases: interagem com as proteínas;
  • Amilases: interagem com os amidos
  • Carbohidrases: interagem com os carboidratos;
  • Lipases: interagem com os lipídeos.

A Tabela a seguir representa a relação entre essas enzimas em relação às suas respectivas ações sobre os substratos:

Matéria Orgânica

Presente em

Enzimas

Proteína

Sangue / Pele / Tecidos

Protease e Peptidase

Amido (Carboidrato)

Secreções / Boloalimentar / Biofilme

Cabohidrase e Amilase

Celulose (Carboidrato)

Bolo Alimentar / Bolo Fecal / Biofilme

Carbohidrase e Amilase

Lipídeos

Gordura

Lipase

Tabela 1: Relação entre enzimas e seus substratos específicos.

como-funcionam-as-enzimas

O mecanismo ocorre pela ação das enzimas sobre a matéria orgânica, decompondo o sangue e os fluídos corporais aderidos aos artigos e materiais, facilitando sua remoção e promovendo um resultado adequado.

Possui em sua composição um detergente neutro, normalmente não iônico, em pequena quantidade, que age como auxiliar na remoção da sujidade.
Esta associação possibilita uma limpeza química rápida em locais de difícil acesso ou em lumens estreitos.

Os detergentes enzimáticos possuem as seguintes características:

  • Não são corrosivos;
  • Possuem pH neutro;
  • São classificados como produtos de risco, ou seja, são atóxicos, não possuem efeito teratogênico, mutagênico ou carcinogênico em mamíferos;
  • Permitem simples enxague.

Quais substâncias e fatores podem comprometer a atividade das enzimas?

A atividade catalítica do detergente enzimáticos (atividade enzimática) é um aspecto importante quanto a qualidade da limpeza e ainda quanto aos danos que podem acarretar aos produtos para saúde submetidos à ação do enzimático.

A composição, pH e a temperatura a que é submetido o detergente enzimático pode interferir na estabilidade da enzima, diminuindo sua atividade ou inativando-a.

A temperatura apresenta grande influência na atividade da enzima, sendo que a velocidade de uma reação enzimática é diretamente proporcional ao aumento da mesma. Entretanto, a partir da temperatura ótima para velocidade da reação, essa atividade é reduzida bruscamente.

A elevação da temperatura em um sistema provoca maior agitação das moléculas e, aumentando sua entalpia, portanto, maiores possibilidades de elas se chocarem para reagir, reduzindo o caminho até o complexo ativado. Entretanto, caso seja exacerbada, a agitação das moléculas se torna muito intensa levando as ligações que estabilizam a estrutura espacial da enzima a se romperem e ela se desnatura.

Atividade Enzimatica na Reação
Atividade Enzimatica na Reação

Cada enzima exige uma temperatura ótima, na qual a velocidade da reação é máxima, permitindo o maior número possível de colisões moleculares sem desnaturar a enzima, reduzindo a energia de ativação necessária para se alcançar o complexo ativado.

Outro fator responsável pela determinação da atividade enzimática é o grau de acidez do meio, também conhecido como pH (potencial de hidrogênio).

atividade-relativa

A escala de pH varia entre 0 a 14, a 25°C, e mede a concentração relativa de íons hidrogênio(H+) em um determinado meio. O valor 7 apresenta um meio neutro, nem ácido nem básico. Valores próximos de 0 são os mais ácidos e os próximos de 14 são os mais básicos (alcalinos). A figura a seguir mostra uma curva de velocidade da fragmentação da sujidade em relação a variação de pH.

Cada enzima tem um pH ótimo de atuação, no qual a sua atividade é máxima. O pH ótimo para a maioria das enzimas fica entre 6 e 8, mas há exceções. A peptidase pepsina, por exemplo, uma enzima digestiva estomacal, atua eficientemente no pH fortemente ácido de nosso estômago (em torno de 2), onde a maioria das enzimas seria desnaturada. A tripsina, por sua vez, é uma enzima peptidase digestiva que atua no ambiente alcalino do intestino, tendo um pH ótimo situado em torno de 8.

Caso haja presença na formulação de EDTA (sequestrante forte para cálcio, que é utilizado em algumas formulações para reduzir a dureza da água), formol, compostos de alto caráter catiônico, peróxido de hidrogênio, hipoclorito de sódio, entre outros, ocorrerá desnaturação das enzimas e subsequente perda da capacidade de fragmentar a matéria-orgânica, capacidade crucial para desempenho do detergente.

São recomendações importantes para o uso de detergentes enzimáticos:

  • Verificar o modo de diluição, o prazo de validade após a diluição, o tempo de imersão e o método de utilização, de acordo com as recomendações do fabricante;
  • Selecionar apenas produtos que possuam registro no Ministério da Saúde para a aplicação a que se destinam;
  • Remover completamente esses limpadores com água corrente abundante;
  • Utilizar obrigatoriamente os limpadores enzimáticos para a limpeza de instrumentos endoscópicos;
  • Selecionar o tipo de limpador enzimático para a limpeza manual ou mecânica automatizada, conforme as recomendações do fabricante.

Legislação

A legislação deve sempre ser atendida.

Meu produto atende RDC nº 55? O que isso significa?

A Resolução da Diretoria Colegiada – RDC nº 55 de 14 de novembro de 2012, publicada no “Diário Oficial da União em 21 de novembro de 2012 dispõe sobre os detergentes enzimáticos de uso restrito em estabelecimentos de assistência à saúde com indicação para limpeza de dispositivos médicos e dá outras providências.” (Site Anvisa)

O objetivo deste regulamento é de estabelecer definições, características gerais, requisitos técnicos e de rotulagem para o registro de produtos categorizados como detergentes enzimáticos de uso restrito em estabelecimentos de assistência à saúde com indicação para limpeza de dispositivos médicos, de forma a minimizar o risco à saúde.

Cada fabricante, por ser o conhecedor das peculiaridades da fórmula deve estabelecer os potenciais riscos e recomendações para mitiga-lo.

De acordo com a RDC n° 55,  a atividade enzimática é definida como “capacidade que a enzima possui em catalisar uma reação, degradando substratos específicos, desde que o complexo enzimático contido no detergente esteja em condições ativas dentro da formulação”. (Site Anvisa)

Este regulamento foi inovador ao exigir na petição de registro do produto a comprovação da atividade enzimática, no mercado vários produtos comercializados não garantiam a efetividade da atividade enzimática.

A atividade enzimática é considerada um dos requisitos na avaliação de desempenho do detergente enzimático, e é muito mais importante que o teor de enzima adicionado, uma vez que a atividade refere-se à forma ativa da enzima, ou seja, o que realmente entrega o benefício da limpeza. A enzima somente irá degradar os substratos se  estiver presente em sua forma ativa na formulação e na solução de uso.

Os documentos relacionados abaixo são entregues pelo fornecedor para obtenção do registro do produto:

  • Laudo de pH do produto puro e na diluição de uso
  • Estudo de estabilidade acelerado ou de longa duração para comprovação da atividade enzimática durante o prazo de validade proposto
  • Peso molecular dos tensoativos utilizados na formulação
  • Laudo da atividade proteolítica.
  • Laudo de atividade amilolítica, quando estiver presente.

O laudo de atividade lipolítica (para avaliação da lipase, quando estiver presente em um detergente enzimático) está em fase final de validação pela Anvisa. Assim, são exigidos para registro, atualmente, laudos de atividade enzimática Proteolítica e Amilolítica.

Dessa forma, todo produto Detergente Enzimático que atende às normas da RDC n° 55 e também às regulamentações do processo de registro de saneantes junto a Anvisa está de acordo com a legislação vigente e obterá deliberação de mercado.

Conclusão

Em suma, os Detergentes Enzimáticos são saneantes inovadores nas linhas têxteis, hospitalares e odontológicas , capazes de proporcionar maior performance na limpeza de utensílios domésticos e institucionais e materiais cirúrgicos.

A atividade enzimática está diretamente relacionada a fatores como pH e temperatura, assim como à presença de outros insumos incompatíveis. Portanto, devemos trabalhar nas condições ótimas de cada fator na formulação do detergente enzimático e buscar insumos compatíveis com as particularidades de cada enzima.

Todo Detergente Enzimático, a fim de se registrar como saneante junto à Anvisa, deve atender às normas da RDC nº 55. Toda documentação exigida deve ser timbrada em Laboratórios Reblados ou com Certificação do INMETRO.

A Polyorganic dispõe de todo conhecimento técnico e comercial necessário para o desenvolvimento do detergente enzimático.

Para maiores informações entre em contato no chat que está sempre disponível aqui em nosso site, fale conosco na página de atendimento ou ligue para (011) 5044 4445.

Toda nosso portfólio voltado para linha enzimática encontra-se em nossa página de produtos.

Reader Interactions