Antiespumantes no tratamento de efluentes

Crescimento

Com o aumento expressivo de processos de fermentação para produção de biocombustíveis, como, por exemplo, a fabricação de alcool a partir da cana e de outros derivados, as quantidades de antiespumantes tendem a crescer em uma curva exponencial, prevê o diretor comercial da Polyorganic Tecnologia, Mauro Majerowicz, “além da necessidade de utilização em águas servidas com alto conteúdo de materiais que provocam espumas, mas nesse caso específico os produtos a serem apresentados ao mercado devem cumprir portaria 393, de 15 de maio de 1.998, lei 6360/76 e o decreto 79094/77, que trata de propriedades de baixa toxicidade e biodegradabilidade das matérias-primas utilizadas para esta aplicação”, complementa.

A Polyorganic desenvolveu tecnologia no Brasil observando tendência européia de produtos antiespumantes isentos de óleo e esteramidas, de alta solubilidade e biodegradabilidade para sistemas de tratamento de águas servidas, bem como mantém em linhas de produtos à base de óleo de silicone autoemulsionáveis para diversos segmentos de mercado.

“Nossos produtos atendem sistemas de tratamento de efluentes, reações químicas e fermentações, produtos de limpeza, auxiliares texteis, defensivos eagrícolas e colas e adesivos, entre outros”, finaliza Majerowicz.

A Polyorganic desenvolveu tecnologia no Brasil observando tendência européia de produtos antiespumantes isentos de óleo e esteramidas, de alta solubilidade e biodegradabilidade para sistemas de tratamento de águas servidas, bem como mantém em linhas de produtos à base de óleo de silicone autoemulsionáveis para diversos segmentos de mercado.

“Nossos produtos atendem sistemas de tratamento de efluentes, reações químicas e fermentações, produtos de limpeza, auxiliares texteis, defensivos eagrícolas e colas e adesivos, entre outros”, finaliza Majerowicz.

Solicite sua Cotação

Respondemos em até 24h.


Reader Interactions